GDF anuncia a liberação de R$ 3 milhões para projeto de acessibilidade no Lago Norte

O administrador regional do Lago Norte, Marcelo Ferreira, e o secretário de economia, André Clemente, estiveram reunidos com a paratleta da Seleção Brasileira de Paracanoagem, Andréa Pontes, na manhã desta segunda feira (24/05) para inaugurar as primeiras intervenções de acessibilidade do Parque Ecológico do Lago Norte. Fruto de um acordo de cooperação entre o Instituto Brasília Ambiental e a Associação de Paracanoagem de Brasília, com apoio da Secretaria de Turismo do DF (Setur), a unidade de conservação recebeu contêineres com pisos adaptados, rampas e sinalização em braile.

Durante o evento, com a presença de diversas autoridades, e representantes da UNA – União Nacional de Acessibilidade, o secretário de economia, anunciou em primeira mão, a liberação de R$ 3 milhões, autorizados pelo governador Ibaneis Rocha, para a conclusão do projeto de acessibilidade e inclusão no Parque Vivencial ll do Lago Norte.

O Parque Ecológico do Lago Norte, localizado próximo à ponte do Bragueto, é caracterizado por ser uma unidade ecológica bastante usada pela população local para a prática de skate, caminhada e esportes náuticos. Aos finais de semana, moradores de todo o lado leste de Brasília frequentam a área, principalmente que dá acesso ao Lago Paranoá.

Para o administrador regional do Lago Norte, Marcelo Ferreira, o anúncio foi recebido com grande alegria, e comemorado não somente pelos moradores do Lago Norte, mas toda a população do Distrito Federal, pois com as implementações, se tornará o maior parque, com 100% de acessibilidade e inclusão do mundo. Especialmente para as pessoas com deficiência. “Além das pessoas com necessidades especiais, o parque também irá beneficiar idosos, gestantes, e pessoas com qualquer tipo de limitações, já que terá acessibilidade para todos” completou o administrador.

Nesta primeira etapa, inaugurada nesta manhã, um pacote de ações incrementados em conjunto, possibilitou o acesso e a participação das pessoas com deficiência física, intelectual, auditiva, visual ou múltipla. O objetivo é expandir o modelo de acessibilidade para outras unidades de conservação.

“Entendemos que toda pessoa com deficiência – física, intelectual, visual ou auditiva – deve ter direito à igualdade de oportunidades assegurada. Nosso projeto propõe o acolhimento, atividades gratuitas para reabilitação e inclusão social de pessoas com ou sem deficiência, visando o acesso ao esporte e ao lazer, minimizando os impactos causados por diferentes condições”, afirma a presidente da UNA e paratleta da Seleção Brasileira de Paracanoagem, Andréa Pontes.

Serão disponibilizadas através do Projeto Una Parque, coordenado pela Unidade Nacional de Acessibilidade, aulas de canoagem, stand up paddle, yoga, tiro com arco e tênis de mesa, com agendamento prévio pelo site unaparque.com.br. As atividades são gratuitas e seguem as diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.