Insegurança na UnB Gama deixa apreensiva comunidade acadêmica

1Arrombamentos, furtos no interior dos veículos são rotineiros e preocupam alunos e servidores do campus da UnB, no Gama. Hoje, quem teve o dissabor de encontrar seu carro danificado e o som do mesmo furtado foi o professor de Física , do Curso de Engenharia, Eberth Correa.

O professor Eberth afirma que terminou sua aula às 11h, ao se dirigiu ao seu automóvel, um Toyota Corolla 2013/2014, que estava no estacionamento atrás do prédio onde trabalha, verificou que o vidro do passageiro estava quebrado e o som foi arrancado com tamanha violência que danificou o painel. A solução foi fazer o boletim de ocorrência, na delegacia e levar o carro para a concessionária para ser consertado. “ Não vou ficar sem carro por vários dias , porque tenho seguro e isso me garante um carro reserva. Necessitamos de segurança para trabalhar. O meu prejuízo  foi estimado em R$ 9 mil” , enfatiza o professor que reclama das condições do estacionamento que neste período está coberto de lama: ”precisamos de melhores condições de trabalho urgente.”

 

Várias ocorrências de furtos de veículo e no interior deles, no estacionamento, foram descritas pelos alunos e servidores. Adevanei Barreto, analista de TI , do CPD da universidade teve dois carros furtados: um quando a universidade funcionava no prédio do antigo Fórum, esse nunca foi localizado e, outro há um ano e meio. No segundo furto, o carro foi encontrado no dia seguinte no Setor de Autarquias Sul (SAS) intacto. Uma professora teve seu Gol furtado duas vezes. Na primeira, encontrou o carro faltando rodas e outros acessórios. Ela o consertou, mas ele foi furtado novamente. Uma aluna perdeu o som do carro, computador e bolsa.

 

Segundo a administradora do campus, Michele Marinho , o caso do arrombamento do carro do professor Eberth, foi a primeira ocorrência em dois meses e acrescenta que o cercamento do campus , assim como a infraestrutura no estacionamento já estão previstos no orçamento de 2014.

 

“As catracas implantadas nas entradas dos prédios da faculdade não resolvem o problema da segurança, porque só controlam o que acontece na parte de dentro dos prédios e os funcionários da segurança são guardas patrimoniais, vigiam apenas o espaço físico da universidade e não têm meios ou responsabilidade para impedir os furtos que ocorrem no estacionamento”, critica a aluna Ana de Souza.

Fonte ADUnB

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.